"Sem a curiosidade que move, que me inquieta, que me insere na busca, não aprendo, nem ensino". Autor: Paulo Freire.

30 de nov de 2015

Universidade Federal do Estado de Santa Catarina.
Curso de Especialização de Educação na Cultura Digital.
Escola de Educação Básica Engenheiro Annes Gualberto.
Cursista: Marise Goetten de Souza Linhares.
Núcleo Específico de Física
Professor: Henrique César da Silva.
Tutor: Jonathan Thomas de Jesus Neto.
Plano de Ação Coletiva 3 – PLAC3
Professora: Marimar Silva
Tutor: Franco Maximiliano Rodriguez Migliarini

Atividade 01: Ação 03 / Avaliação da Experiência

1 - Os avanços alcançados diante da sua experiência de integração
Em física temos no ensino médio 2 aulas semanais, além dos computadores utilizados, ficou livre (a disposição/disponibilidade) para cada aluno como melhor parecesse estar desenvolvendo seus trabalhos, podia ser feito de maneira manual ou digital, o acesso aconteceu na escola e em casa na medida que lhes fosse possível, realizarem. Foram aulas diferenciadas, inclusive com alunos filmando uns aos outros, utilizando formatos digitais variados.  Além do que foi disponibilizado e-mail e facebook para diálogo com a professora, para acertar detalhes e até recebimento dos trabalhos/tarefas. Em minha opinião excelentes avanços já que basicamente não dispomos de tempo, ou não organizamos melhor o tempo para este tipo de atividades a serem desenvolvidas frequentemente.
2- Os desafios enfrentados na realização da experiência de integração 

Como mencionado anteriormente, este é um bimestre cheio de correrias e contratempos, já que a maior correria agora é em busca de notas para fechar média e passar de ano ou estudar para o exame; além de que, há  feriados bem como reuniões pedagógicas, que fogem da nossa capacidade, administrar estas aulas com mais ou menos volume de aprendizagens. Há alunos que se consideram já aprovados, com media igual a 7 (ou 28 pontos) e que não demonstram interesse e acabam incomodando em classe enquanto que outros precisam de nota estão se demonstrando interessados, empenhados, interagem trazem diálogos diferentes dos costumeiros. O tempo foi curto, talvez se fosse colocado em outro bimestre, teríamos mais alunos interagindo de maneira mais eficaz.

3- As alternativas que você julga pertinentes e de possível implementação, de modo a aperfeiçoar a integração das TDIC às práticas pedagógicas, a partir da reflexão acerca da experiência realizada. 
O uso do celular, quando tem um objetivo claro definido é de grande valia, já que atualmente a maioria das pessoas possui do tipo que funciona como um minicomputador: ele digita, fotografa, filma, acessa redes sociais e internet com todos os recursos de aplicativos necessários à essas práticas pedagógicas serem aperfeiçoadas. Claro que nem todos tem este acesso ainda, mas por isso aproveitamos a sala informatizada, e em classe ou nesta sala puderam estar trabalhando, pesquisando, estudando de maneira individual e em equipes: um auxiliando o outro – quem tem mais facilidade X quem tem mais dificuldade; inclusive partindo de alguns alunos a iniciativa de utilizar aplicativo diferente dos mencionados, por não travar (???) – opinião dos próprios alunos – quando mencionado sobre aplicativo de história em quadrinhos, por exemplo.



Universidade Federal do Estado de Santa Catarina.
Curso de Especialização de Educação na Cultura Digital.
Escola de Educação Básica Engenheiro Annes Gualberto.
Cursista: Marise Goetten de Souza Linhares.
Núcleo Específico de Física
Professor: Henrique César da Silva.
Tutor: Jonathan Thomas de Jesus Neto.
Plano de Ação Coletiva 3 – PLAC3
Professora: Marimar Silva
Tutor: Franco Maximiliano Rodriguez Migliarini

Atividade 01: Ação 02 / Como será realizada

Essa atividade será desenvolvida com os alunos do 1º. Ano do ensino médio e será efetuada em quatro aulas conforme abaixo discriminadas:
1ª. Aula – Apresentação da temática que será abordada/trabalhada – Energia Elétrica (nessa primeira aula os alunos ficarão a par do assunto que abordaremos nas próximas 4 aulas, tendo como prioridade a matriz energética brasileira de maior consumo ou seja a hidrelétrica. Neste período teremos explanação de modo expositivo, com a possibilidade de apresentarmos textos prontos, retirados da internet, sobre o tema proposto, sobre o tema energia elétrica. 
2ª. Aula – Os alunos receberão um texto no qual será feito uma leitura reflexiva visando ao máximo à conscientização no consumo deste agente tão importante para nossas vidas que é a energia elétrica.
3ª. Aula – Será desenvolvido no laboratório de informática e/ou até mesmo dos próprios aparelhos celulares, smartphones ou tablets dos alunos uma aula prática num simulador/aplicativo da web sobre o consumo de eletrodomésticos que os mesmos possuem em suas casas. Os mesmos tabularão os valores do consumo que suas famílias estão tendo.
4ª. Aula – Os alunos a partir dos dados obtidos dos valores da prática realizada no aplicativo simulador farão um comparativo com a fatura de consumo de energia de suas residências, onde o conceito de racionalidade, respeito ao meio ambiente associado à conscientização poderá fazer a diferença. A proposta é esta, tendo em vista o foco pré-estabelecido de maneira gradual e consistente.
Links dos aplicativos:
Este é um bimestre cheio de correrias e contratempos, já que a maior correria agora é em busca de notas para fechar média e passar de ano ou estudar para o exame; além de que, há  feriados bem como reuniões pedagógicas, que fogem da nossa capacidade, administrar estas aulas com mais ou menos volume de aprendizagens. Há alunos que se consideram já aprovados, com media igual a 7 (ou 28 pontos) e que não demonstram interesse e acabam incomodando em classe enquanto que outros precisam de nota estão se demonstrando interessados, empenhados, interagem trazem diálogos diferentes dos costumeiros.

REFERÊNCIAS

http://www.dicionarioinformal.com.br/heur%C3%ADstica/

http://www.if.usp.br/gref/eletro/eletro4.pdf

http://economiadeenergia.com.br/dicas/35-como-economizar-energia/76-porque-economizar-energia-.html



·         PLAC 3 – ATIVIDADE 1 – O que será realizado
Iremos abordar um assunto extremamente contemporâneo e de extrema importância no que diz respeito ao consumo e uso racional de energia elétrica, despertando de modo didático que o tema proposto se refere ao dia a dia do aluno, sua família, trabalho e circulo de amizade, etc. Consideramos que o tema: “consumo de energia elétrica” trás uma dinâmica otimista e reflexiva de um assunto bastante atual e relevante para a sociedade e contribui de maneira muito especial para a formação de nossos alunos, procuramos dessa forma implantar uma postura ambiental responsável e equilibrada dentro do contexto em que vivemos.
A contribuição que essa integração irá oferecer para os estudantes é que diante do fator consumo, deve-se prioritariamente haver a consciência na qual se aplicarão conceitos matemáticos, ao serem utilizados programas de simulação: a quantidade de energia elétrica consumida; a quantidade de energia que poderá ser economizada; fazer a comparação da simulação com a fatura de energia elétrica que chega a suas residências mensalmente.
Este pode ser o início de uma experiência que poderá ser extensiva para outras formas de consumo (uso racional do consumo de água, uso racional do consumo de combustível), possibilitando estudar também outras formas de energia. Essa experiência poderá enriquecer quando o estudante deixar seu legado dentro do ambiente escolar, mais ainda: aplicando em sua rotina diária – em casa, trabalho, entre outros locais; pois poderá exercer tal conhecimento influenciando/contagiando outros a terem a mesma postura no que diz respeito ao uso racional energético.
Com essa nova pratica pedagógica, o aluno retém mais o que é estudado, assimila melhor o assunto abordado em classe; já a unidade escolar, tem muito a ganhar com esse tipo de metodologias, utilizando as TDICs, pois, significa algo inovador, e com alunos melhorando seu desempenho escolar, suas notas e outras qualidades, melhora inclusive o conceito da escola perante a comunidade, bem como perante vizinhos, colegas e familiares dos estudantes.

O trabalho interdisciplinar fortalece a aprendizagem por parte do aluno, bem como interliga as disciplinas, os professores se tornam uma equipe: onde um ajuda o outro inclusive trocam experiências, incentivam o uso de outras tecnologias, além do que uma feira de ciências, por exemplo, se torna mais rico em detalhes, pois não abrange só uma dimensão, mas várias. Essa prática/interação disciplinar pode ser feita de modo interdisciplinar, por exemplo, abrangendo as disciplinas de matemática, física, química, nas leituras a interpretação e compreensão de textos (língua portuguesa), mas neste momento, não irá ocorrer com outros professores desta maneira  porque estamos em diferentes níveis de ensino, e diferentes conteúdos, por exemplo.


8 de mai de 2012