"Sem a curiosidade que move, que me inquieta, que me insere na busca, não aprendo, nem ensino". Autor: Paulo Freire.

6 de abr de 2010

Pulseiras provocam reflexão na escola [É notícia]




A polêmica gerada pelo significado das “pulseirinhas do sexo” vem provocando reflexão nas salas de aulas de Joinville. Na Escola de Educação Básica Annes Gualberto, no Iririú, três alunos do primeiro ano do ensino médio estão tentando conscientizar os colegas.

Eles fizeram um mural com uma mensagem para alertar sobre o uso do acessório. Na Câmara de Vereadores, o projeto que proíbe o uso das pulseirinhas nas escolas de Joinville está nas comissões de Educação e de Legislação.

O uso das pulseiras coloridas de silicone foi proibido no colégio. Para os alunos entenderem a medida, as turmas receberam uma aula sobre o assunto. Depois, Karolline Raimundo da Silva, 14 anos, Sthefany Gomes dos Santos, 15, e William José Gusser, 14, foram até a diretoria com a ideia de tentar uma abordagem diferente.

“Não sabíamos a imagem que as pulseiras transmitiam. Usava por estética. Depois de descobrir o que era, vimos que não era algo legal. E resolvemos mostrar para os outros isso também”, diz Karolline.

Os três fizeram também um depósito para os objetos. Durante o intervalo, os três ficarão próximo ao mural falando sobre o assunto. “A ideia é fazer os mais novos entenderem certinho o que significa a pulseirinha”, ressalta William. A diretora Célia Stoll considerou positiva a iniciativa dos alunos.

Publicado no site do jornal A Notícia em 17/03/2010
[http://www.clicrbs.com.br/anoticia/jsp/default2.jsp?uf=2&local=18&source=a2840466.xml&template=4187.dwt&edition=14312§ion=884]